Geração Y não se refere à idade, mas a um comportamento.

Os Ys podem ser eu, você, minha filha, meu pai ou talvez até um de nossos avós. Ser Y é muito mais do que ser classificado como a geração da internet, do mobile ou do app. Essa geração representa a mudança de uma época: mudança da não aceitação do preconceito, mudança do que é se comportar em sociedade, mudança do que é entender as relações humanas, mudança da relação com o nosso planeta e mudança da compreensão de como devemos tratar o nosso corpo, seja com o que escolhemos para nos alimentar, seja tendo o movimento como aliado da longevidade. É uma mudança mental que envolve o viver não somente pelo presente, mas conscientes de que o futuro está logo ali.

É por isso que ser Y é ser presente e, ao mesmo tempo, futuro.

Estamos inseridos em um ambiente urbano, mutante, onde somos constantemente levados a novas experiências e somos convidados a desenhar nossa historia e deixar traços de nós mesmos, da nossa personalidade, por onde quer que passemos e onde quer que vivamos.

Nesse espaço urbano, tudo acontece, e é exatamente onde tudo deve acontecer, na mistura dos diferentes, do antigo com o novo, do colorido com o cinza, do inacabado com o perfeitamente alinhado, do pensado com o improvisado, do dito com o feito, do concreto com o abstrato. É nessa profusão que sinto, ouço, toco e, principalmente, saboreio.

E é em todas essas possibilidades de sabor, em que o Y se confunde com o urbano, que um novo jeito de se alimentar acaba de nascer. 

Ser Yurban é querer viver e fazer historia, é querer semear atitudes diferentes para colher um futuro mais frutífero para todos nós.

Ser Yurban é cuidar daquilo que mais importa: a nossa saúde e os bons momentos da vida.

Ser Yurban é saber que pode e deve ser diferente.

Quando o novo se faz, o Yurban se forma.

A necessidade já existe. Ser Yurban é solução.